A Organização Mundial de Empresas

6 Passos para a Sustentabilidade e Segurança Energética

images/noticias/6Passos_Sustentabilidade_Seguranca_Energetica_400_170.jpg

A Câmara de Comércio Internacional (ICC) produziu um conjunto de recomendações empresariais sobre a sustentabilidade e segurança energética para os ministros da Energia do G20 que prepararam a Cimeira de Líderes do G20 em Hangzhou, que teve lugar em setembro.

Desenvolvidas pelo ICC G20 CEO Advisory Group, as recomendações pretendem aproveitar o momentum suscitado pelo aumento da atenção sobre as alterações climáticas e energéticas.

A Cimeira Hangzhou tem o potencial de garantir que os temas energéticos e climáticos continuam a receber a atenção apropriada nas deliberações dos líderes do G20”, disse Jeffrey Hardy, CEO do Advisory Group Director da ICC.

“As políticas e o enquadramento legal serão críticos para garantir que o investimento energético adequado e apropriado ocorre agora e ao longo das próximas décadas.”

Para cumprir os requisitos de investimento, o ICC G20 CEO Advisory Group ICC apresenta 6 recomendações aos líderes do G20:

Passo 1: Utilizar diversas fontes de energia para conduzir ao desenvolvimento sustentável

De acordo com as recomendações, cada fonte de energia apresenta oportunidades e desafios o que pode variar consoante as circunstâncias locais. O ICC G20 CEO Advisory Group encoraja os líderes do G20 a considerarem todas as opções de fontes para reduzir as dependências.

Passo 2: Estabelecer estruturas reguladoras estáveis para atrair investimento energético e gerir a transição a longo prazo para sistemas energéticos globais seguros e sustentáveis

Devido à natureza de longo prazo das inovações energéticas, do investimento e das infraestruturas energéticas, as políticas estáveis e estruturas reguladoras são essenciais e devem ser designadas para (i) garantir a segurança energética a longo prazo; (ii) desenvolver energias mais eficientes e acessíveis; (iii) mitigar a volatilidade dos preços; (iv) promover a entrega e o consumo das energias sustentáveis e o acesso a serviços energéticos de confiança e modernos; e (v) gerar impactos sociais, económicos e ambientais positivos.

Passo 3: Aumentar o investimento em investigação e desenvolvimento (I&D) para tecnologias energéticas inovadoras

Ao mesmo tempo que o desenvolvimento e implementação tecnológica são fundamentais para alcançar muitos dos objetivos energéticos globais do futuro, o investimento na investigação tem vindo a diminuir a uma escala global nas últimas décadas. Acelerar a I&D ao nível da energia deve ser uma prioridade global, e o G20 deve acelerar o investimento para a I&D e reforçar a necessária rede de cientistas, engenheiros e técnicos bem formados.

Passo 4: Promover e priorizar a eficiência energética

Sublinhando o apoio empresarial para a eficiência energética como componente crítica de qualquer estratégia de energias sustentáveis, as recomendações pedem esforços contínuos para promover e apoiar a eficiência energética nas várias indústrias e para promover os comportamentos e dispositivos eficientes ao nível da energia.

Passo 5: Melhorar a governança global energética e coordenar os esforços internacionais

De acordo com as recomendações, uma visão holística que inclua considerações cuidadas sobre a diversificação de energias é crucial para abordar os riscos energéticos de longo prazo e para mitigar os impactos multissetoriais da volatilidade dos preços ou dos abastecimentos. O passo 5 exige que as políticas económicas, energéticas e ambientais sejam formuladas e implementadas a nível nacional tendo em consideração a realidade atual e os acordos internacionais.

Passo 6: Aumentar o acesso mundial a energia limpa e moderna de acordo com o 7º Objetivo de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, com ênfase nas regiões Africanas e da Ásia-Pacífico.

Com pelo menos 1.1 biliões de pessoas que vivem sem acesso à eletricidade e 2.7 biliões de pessoas sem acesso a energia limpa e moderna para cozinhar, as recomendações da ICC apelam aos líderes do G20 para que se agilize o acesso à energia e para que a segurança energética seja de facto uma prioridade.

Consulte as recomendações na íntegra - ICC Energy Priorities for G20.

Consulte o Press-Release.

Os nossos Membros