A Organização Mundial de Empresas

Índice de Mercados Abertos da ICC: é necessário maior esforço para abrir as economias ao comércio global

images/noticias/IndiceAberturaMercados_400_170.jpg

Apesar das inúmeras promessas no sentido de transformar o comércio no grande motor do crescimento e da criação de emprego, as economias do G20 não têm demonstrado liderança global no que toca à abertura dos mercados, de acordo com o Índice de Mercados Abertos 2017, divulgado este mês pela Câmara de Comércio Internacional (ICC).

O relatório revela que as nações do G20 se encontram abaixo dos padrões globais em termos de abertura ao comércio, estando apenas o Canadá no top 20 dos países mais abertos. Singapura, Luxemburgo e a Região Administrativa Especial de Hong Kong lideram os rankings pela 4ª edição sucessiva deste relatório, ultrapassando largamente as grandes economias, como os Estados Unidos da América, no que diz respeito à abertura ao comércio.

O Índice avalia 75 países, numa escala de 1 a 6, em 4 fatores chave: abertura ao comércio observada, políticas de comércio, abertura ao investimento direto estrangeiro e infraestruturas adequadas ao comércio.

Classificação do G20 – espaço para melhorar

A última edição do Índice revela que 18 das economias do G20 estão classificadas como dentro da média ou abaixo da média, no que diz respeito à abertura geral ao comércio. As duas economias com menor pontuação são o Brasil e a Argentina.

O Secretário-Geral da ICC, John Danilovich, afirmou: “A ICC tem pedido firmemente ao G20, desde a crise financeira global, para assumir uma postura contra o protecionismo. Não devemos voltar ao estilo de políticas de 1930 – e o setor privado não deve fugir a isto.”

Outras descobertas

A mais recente edição do Índice, lançada no momento em que líderes governamentais se reuniram em Hamburgo para a Cimeira do G20, revela que:

  • Três economias obtiveram a classificação de excelente em termos de abertura ao comércio (com pontuação acima dos 5.0), nomeadamente Hong Kong, Luxemburgo e Singapura.
  • As economias com ranking mais baixo são a Etiópia, Venezuela e Sudão.

A ICC pede ao G20 que se comprometa com um conjunto de reformas para promover o comércio como fio condutor do aumento do emprego e das oportunidades.

Saiba mais sobre a World Trade Agenda.

Faça o download do Relatório, aqui.

Consulte o Press-Release.

Conheça as 20 economias mais abertas, segundo o Índice do presente ano:

Ranking IndexOpenMarkets

Os nossos Membros